Alexandra Lopes

Áreas de interesse:  Sociologia da Saúde, Sociologia do Envelhecimento, Desigualdades e pobreza, Estudos de género. 

Bio

Licenciada em Sociologia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e mestre em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, doutorou-se na London School of Economics, na especialidade de Social Policy, com uma tese sobre as implicações do envelhecimento demográfico para os sistemas de organização do bem-estar social de tipo familialista. Especialista no domínio geral dos estudos sobre o envelhecimento, tem desenvolvido a sua atividade de investigação em torno de algumas temáticas específicas, entre as quais se destaca: a gestão das dependências e os sistemas de cuidados em Portugal; desigualdades e pobreza entre a população idosa; desenvolvimentos teóricos do conceito de classe social na relação com o envelhecimento demográfico; metodologias de análise longitudinal e de comparação internacional.

É coordenadora da equipa portuguesa no âmbito do projeto SPRINT - SOCIAL PROTECTION INNOVATIVE INVESTMENT ON LONG-TERM CARE, projeto de investigação financiado pelo Comissão Europeia no âmbito do quadro Horizonte2020. O objetivo deste projeto, com duração prevista de 3 anos e término em 2018 é o desenvolvimento de uma matriz comum ao espaço europeu para avaliação das diferentes soluções no domínio dos sistemas de cuidados continuados à população idosa. Essa matriz aplicará os princípios estruturantes do conceito de investimento social e envolverá a utilização da matriz SROI para análise dos diferentes países europeus. SPRINT envolve um consórcio de 12 instituições e é liderado pela London School of Economics. Alexandra Lopes coordena a equipa portuguesa que será responsável pelo workpackage 2.
Entre os seus anteriores projetos de investigação conta-se a monitorização científica do projeto cIDADES, projeto de âmbito nacional que procurou mapear e discutir as características dos espaços urbanos portugueses na perspectiva da sua relação com os os cidadãos mais velhos. Foi igualmente coordenadora do projeto Módulo65+: Módulo de questões para o cuidado aos idosos, financiado pela FCT, e do qual resultou um módulo validado de questões e disponível para uso livre pela comunidade para produção de dados sobre necessidades, utilização e modalidades de financiamento de cuidados a idosos dependentes.

É autora de várias publicações, nacionais e internacionais, nos domínios onde investiga. 

CV

Licenciada em Sociologia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e mestre em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, doutorou-se na London School of Economics, na especialidade de Social Policy, com uma tese sobre as implicações do envelhecimento demográfico para os sistemas de organização do bem-estar social de tipo familialista. Especialista no domínio geral dos estudos sobre o envelhecimento, tem desenvolvido a sua atividade de investigação em torno de algumas temáticas específicas, entre as quais se destaca: a gestão das dependências e os sistemas de cuidados em Portugal; desigualdades e pobreza entre a população idosa; desenvolvimentos teóricos do conceito de classe social na relação com o envelhecimento demográfico; metodologias de análise longitudinal e de comparação internacional.

É coordenadora da equipa portuguesa no âmbito do projeto SPRINT - SOCIAL PROTECTION INNOVATIVE INVESTMENT ON LONG-TERM CARE, projeto de investigação financiado pelo Comissão Europeia no âmbito do quadro Horizonte2020. O objetivo deste projeto, com duração prevista de 3 anos e término em 2018 é o desenvolvimento de uma matriz comum ao espaço europeu para avaliação das diferentes soluções no domínio dos sistemas de cuidados continuados à população idosa. Essa matriz aplicará os princípios estruturantes do conceito de investimento social e envolverá a utilização da matriz SROI para análise dos diferentes países europeus. SPRINT envolve um consórcio de 12 instituições e é liderado pela London School of Economics. Alexandra Lopes coordena a equipa portuguesa que será responsável pelo workpackage 2.
Entre os seus anteriores projetos de investigação conta-se a monitorização científica do projeto cIDADES, projeto de âmbito nacional que procurou mapear e discutir as características dos espaços urbanos portugueses na perspectiva da sua relação com os os cidadãos mais velhos. Foi igualmente coordenadora do projeto Módulo65+: Módulo de questões para o cuidado aos idosos, financiado pela FCT, e do qual resultou um módulo validado de questões e disponível para uso livre pela comunidade para produção de dados sobre necessidades, utilização e modalidades de financiamento de cuidados a idosos dependentes.

É autora de várias publicações, nacionais e internacionais, nos domínios onde investiga.